CQ? na net:

Mãe de Araçariguama - Justiça que te quero justa.

Mete o pé que nem eu te ensinei. Vai. Mete soco na cara. Não entra ninguém. Não vai entrar ninguém. É minha filha. Ela vai resolver."


Uma servidora publica municipal, responsável pelo monitoramento de alunos da rede publica no transporte escolar é a infeliz autora das frases acima. As frases são dirigidas a sua filha de 15 anos como incentivo para que retome no braço um relacionamento impróprio com um homem de 23 anos.


A filha havia perdido o namorado para uma outra adolescente da mesma idade, o que motivou a briga. Como a refrega foi gravada por um telefone celular e tornou-se de alcance internacional a mulher poderá ser exemplarmente punida.


É mesmo lamentável que uma mãe, em sendo ainda tutora de alunos, incentive a violência e até ensine golpes a sua filha. É terrível saber que incentiva sua própria filha adolescente a corromper-se com amores já adultos. Bendito seja o divulgador de tais fatos já que esta senhora sofrerá a justa punição e os alunos de Araçariguama, inclusive sua filha, estarão livre de mais esta influencia maléfica.



O pensar na punição severa a que possa ser submetida à nefasta servidora da educação eu deveria me sentir aliviado mas o diabo é que eu fico ainda mais inquieto e preocupado.
Esta mulher provavelmente passou por um concurso publico habilitando-se a trabalhar com nossas crianças por meio dos testes que o empregador julgou ser necessário para a função e é aí que a porca torce o rabo.

Eu fico pensando que esta mulher talvez possa ser uma funcionaria pontual e dedicada, uma cidadã cumpridora de seus deveres cívicos e que tem a oferecer em nome do estado a nossas crianças justamente o que recebeu do estado quando em formação de seu caráter ou mesmo como formação profissional.


Agora, o mesmo estado pode colocá-la atrás das grades, juntando-a ao rol das assassinas, traficantes e todo o tipo de bandidas que o estado tutela (assim como a educação de nossas crianças) e fosse pouco pode também lhe tirar a guarda da filha como ocorre com pedófilos, alcoólatras e pais agressores (física e moralmente).


Vá lá que pilhada em flagrante delito, os rigores da lei lhe caibam bem, mas o que eu quero saber é:


Isto vai resolver o problema de gente despreparada cuidando da formação de nossos filhos?


Certamente não, já que o estado contrata gente desqualificada, paga muito mal e não dá qualquer treinamento ou capacitação. Coisas bem piores podem estar rondando nossas crianças em escolas publicas brasileiras neste exato momento.



Para ser fazer justiça neste caso, o estado deveria responder solidariamente a todos os crimes de que acusam a servidora e ser forçado pelo judiciário a capacitar adequadamente as pessoas que atendem as crianças em seu nome, bem como fiscalizar o trabalho delas.
Não sendo assim, pegam a coitada para bode expiatório e esquecemos do assunto, até outro servidor desqualificado aprontar algo tão ou mais grave que isto.

A imagem que ilustra este post foi retirada do blog freakshow

0 comentários :