CQ? na net:

Les miserables - Lula, Serra, Kassab e a enchente de 1.965

“... todo ano vai ter enchente em São Paulo se a gente não tomar uma atitude”.





 

“Aqui, fui morar na Vila Carioca, (em 1965) na rua Ouro Verde, número 1156. Dava enchente todo final de ano, não é de hoje que dá enchente. (...) Depois, me mudei para outro lugar pra me livrar da enchente, para a Ponte Preta. A casa era novinha, cheirava a tinta. Isso, no mês de julho. Nos meses de dezembro a janeiro teve três enchentes de entrar um metro e meio de água”.

“Não é culpa do prefeito, do governador ou do presidente individualmente...”.

Presidente Lula durante cerimonia em que foi agraciado pelo Prefeito Kassab com uma medalha para comemorar os 45 anos de sua primeira enchente em São Paulo.

Culpar uma só pessoa pelas enchentes em São Paulo, mesmo que seja um político, é realmente de uma simploriedade intelectual que nem mesmo nosso presidente arrisca.

Mas as pistas para nossos culpados estão nas demais palavras do dito “filho do Brasil”.


Lula mudou para São Paulo em 1.965 e foi recepcionado por enchentes de um metro e meio. Era um capiau sem eira e nem beira, fez o que estava em seu alcance à época: Mudou-se para onde julgava mais seguro, alias, em vão, já que em sua nova casa também teve enchente.


Lá se vão 45 anos, São Paulo teve governantes de todas as matizes políticas, mas a chuva continua alagando, matando gente, destruindo patrimônio. Nosso presidente no apagar das luzes de seu longo governo federal descobriu a roda. Se os governantes não fizerem o que são pagos para fazer todo ano vai ter enchente.


Lula não fez nada, o PT que esteve duas vezes no governo municipal não fez nada, Serra não fez nada como prefeito ou governador, Kassab não fez nada. Alias, todos fizeram sim: Promessas!

Agora, enquanto os pobres enterram seus mortos e a cidade conta os prejuízos, acabam de lançar conjuntamente mais uma promessa fresquinha. Em março, quando a chuva já tiver ido embora, o PAC vem aqui para São Paulo emPACar sei lá o que.


Como nos próximos 45 anos dificilmente alguém vai tomar alguma atitude, eu só espero que a chuva, que tem castigado São Paulo diariamente a mais de um mês, dê as caras em outubro para lembrar ao eleitor que a culpa não é individualmente de nenhum governante.

1 comentários :

Juliana Pires disse...

É verdade, ninguém nunca fez nada, todo governo é praticamente a mesma coisa.

Beijos