CQ? na net:

Celso Amorim está chocado - Só pode ser ovo de serpente!


A Bolívia está em guerra. O índio presidente insiste em incentivar e patrocinar a polarização entre os índios cocaleiros e a classe média boliviana. É amigão de primeira hora do narcotráfico internacional e quando quis um inimigo externo tratou de invadir empresas multinacionais que investiam pesado em seu país. E de quem eram as empresas? Sua, meu caro pagador de impostos brasileiro.

A Venezuela está em guerra. O tirano presidente insiste em roubar empresas multinacionais por meio das “nacionalizações” arbitrarias. Fecha empresas de comunicação que tentam a petulância da livre expressão e é um dos principais financiadores das Farc.

Cuba está em guerra. O indestrutível cartel Castro insiste em dizimar a própria população por meio da miséria e se não for suficiente por meio do bom e velho fuzilamento mesmo.

Ainda hoje talebãs invadiram um hospital e chacinaram 12 pessoas. Provavelmente o Irã tem algo a ver com isto, seja por fornecimento de armas ou treinamento ou ainda por financiamento do grupo que aterroriza o Oriente Médio.

A China corrói o patrimônio nacional brasileiro exportando para cá todo tipo de bugiganga e produtos piratas produzidos por escravos brancos que se acharem ruim vão para o paredão também, com o diferencial de a familia ter que pagar a bala.

Lula e seu chanceler (Termo que aplicado a Amorim parece ser oriundo de chanchada) Celso Amorim andaram (ou andam) por todos estes cantos. Na ultima estada de Lula por Cuba um dissidente morria pedindo socorro a Lula que achou melhor compará-lo aos bandidos das facções paulistas e cariocas. Nunca nosso governo achou nada chocante. Mas quando Israel ataca um comboio naval que possivelmente transportava ajuda militar entre o que deveria ser apenas ajuda humanitária aos palestinos nosso chanceler se diz chocado e cacareja como uma galinha que acabou de chocar um ovo de serpente.

Somando as mortes de pessoas inocentes apenas nestes paises é possível que se pudesse povoar novamente Israel e Palestina juntos, caso os vizinhos conseguissem ao mesmo tempo realizar seus desejos mais íntimos de destruição mutua. Para se prender apenas na controversa questão da faixa de gaza, nunca houve uma nota diplomática brasileira repudiando ação qualquer de Palestinos.

E por qual razão as 10 vitimas de Israel valem tão mais que a dos outros paises citados aqui?
Muito simples meu caro e ingênuo financiador do bolsa-terrorismo: Bolívia, Venezuela, China, Irã e Cuba são antagonistas do que os Estados Unidos representam ao passo que Israel é um aliado americano de primeira hora.

Não é legal que Israel saia por aí bombardeando navios estrangeiros ou acampamentos palestinos, mas Israel tem uma guerra para tocar e não existem santos na guerra santa. A chancelaria brasileira tem muito mais cousas e muito mais graves assassinatos, inclusive em solo brasileiro, para se chocar antes de se manifestar tão veementemente contra uma ação de Israel contra amiguinhos dos terroristas palestinos.

Seria legitimo que se manifestasse como fez, caso não ignorasse o que fazem os paises com os quais mantém convescotes diplomáticos. Do jeito que a diplomacia caipira age com os tiranos que lhe passam o chapéu (ou a mão na bunda) não passa de uma retaliação raivosa de quem gostaria de enfrentar de frente a grande potencia mundial e não pode, então bate no “irmão menor”.Lula e Amorim acabaram de chegar do Irã e nem um pio soltaram sobre o Aiatolármadinejad viver pregando a destruição do estado de Israel.
Como diria um sábio diplomata lá das bandas de Caratinga: Energia Nuclear no assento dos outros é refresco!

1 comentários :

Claudinha disse...

o lula tem direito de criticar a violencia do mundo. o brasil é da paz!