CQ? na net:

Delegado assassinado ao vivo - Um cadaver pelo radio.

O radio faz parte da história de muita gente. Já ouve até um caso famoso e controverso de fim do mundo anunciado pelas ondas do radio que causou o maior rebuliço. Nem da para contar o numero de casais que tem uma historia romântica ligada ao radio para contar, ou quantas noticias importantes, ou quantos fatos relevantes o radio serviu para difundir ou noticiar.

Nestes tempos da era da comunicação, onde diziam que a Internet mataria a televisão e o radio, um fato chocante foi transmitido ao vivo pelo bom e velho radio. Um delegado, engajado em combater o crime organizado dava uma entrevista ao vivo quando foi assassinado. Quem tinha seu dial sintonizado na Líder FM de Salvador na Bahia pode acompanhar todo o áudio do momento em que o delegado foi alvejado e o desespero de sua esposa que assistiu a tudo. O áudio me parece mais chocante, sobretudo ao vivo, por nos deixar como as cegas num filme de terror, ouvindo a petulância dos criminosos sem saber ao certo o desfecho da história.

Mostra que o radio enquanto mídia não morreu, mas mostra sobretudo que é preciso um engajamento total da sociedade contra o crime. Não dá para esperar que as autoridades simplesmente resolvam tudo por que chegou num nível que um delegado honesto é assassinado enquanto dá uma entrevista ao vivo. Se não houver mobilização social o crime prevalecerá. Ouça o momento em que o delegado é assassinado e aproveite para pensar no que você tem feito pela paz. Se o melhor que você pode fazer é comprar equipamentos de segurança, uma morte ao vivo pelo radio talvez lhe faça pensar em fazer um pouco mais.

0 comentários :