CQ? na net:

Copa 2010 - E o racismo?




Esta época de copa do mundo na África é uma ótima oportunidade para tratarmos de um assunto importante: O racismo.


Na África do Sul os negros eram separados dos brancos pelo regime do Apartheid, só que os poucos brancos ficavam com toda a riqueza e os negros viviam em condições sub-humanas.
Nelson Mandela lutou contra isto a vida inteira e por causa disto não pode realizar seu grande sonho: Ser lutador de Boxe. O ícone da liberdade esteve preso de 1962 até 1990 mas jamais se abateu em sua luta contra a segregação racial, saiu da cadeia e se tornou presidente do país no período de 1994 a 1999, conseguindo acabar com o apartheid e dando mais liberdade aos negros.

Nos estados unidos, maior potencia mundial da história recente os negros também sofreram um bocado. A palavra linchamento que hoje significa muitas pessoas espancarem outra até a morte teve origem por conta do sofrimento dos negros. O coronel Linch costumava queimar negros em praça publica ou amarrá-los entre dois cavalos potentes que eram acoitados em sentidos opostos até dilacerarem o negro ainda vivo e a famosa Ku Klux Klan, oriunda dos comitês de cidadania perseguiu e matou com requintes de crueldade muitas pessoas apenas pela cor escura de sua pele.


O herói americano da luta pelos direitos humanos, sobretudo aos negros foi Martin Luther King, assassinado por não aceitar coisas como o fato de negros precisarem se levantar e ceder o lugar nos ônibus caso um branco aparecesse, assim como as pessoas educadas fazem hoje com idosos e deficientes físicos.

Nestes dois países a luta contra o racismo conseguiu grandes avanços, mas ainda é preciso muito trabalho para que as pessoas não sejam julgadas pela cor de sua pele.

O racismo no Brasil.

O Brasil foi povoado principalmente pela escória da sociedade européia. Para cá foram mandados todo o tipo de criminosos e gentes sem esperança, para completar o tempero muitos dos índios que aqui habitavam se integraram a sociedade e o toque final foi dado com os negros que aqui aportaram como mercadoria ou sub-raça e com a liberdade tardiamente alcançada também acabaram se integrando. Mais tarde o Brasil ainda recebeu refugiados de guerra e da fome ao redor do mundo.

Deste caldeirão de gente desacreditada mas com enorme vontade de construir uma pátria surgiu o miscigenado, cordial, bonito e alegre povo brasileiro. A mistura é tanta que uma reportagem do programa de televisão Fantástico mostrou que o cantor Neguinho da beija-flor tem em seu DNA menos genes africanos que o Senador Antonio Carlos Magalhães. Ocorre que ACM é (era, na verdade) caucasiano e o cantor, como o nome indica, é negro.

Isto não significa que os negros brasileiros não tenham sofrido um bocado por terem a pele escura. Depois de saírem das senzalas houve muito sofrimento até chegarmos aos dias atuais.
No Brasil não é comum que manifestações racistas aconteçam e quando acontece a sociedade prontamente reprova, o que é sem duvida uma vantagem se levarmos em conta que nos Estados Unidos a polarização entre negros e brancos ainda é grande e que na África do Sul poucos são os brancos que se relacionam cotidianamente e de igual para igual com negros.

Uma amostra definitiva de que a cor da pele por si só não torna ninguém melhor ou pior é que o homem mais poderoso do mundo na atualidade é o negro Barack Obama, um sinal de privilégio intelectual. O atleta mais festejado de todos os tempos em todas as modalidades é o negro Pelé, um sinal de privilégio físico. Muitos brancos fizeram e continuam fazendo coisas formidáveis e o fato de negros chegarem ao topo apesar de todas as contrariedades não serve para acalorar o debate, mas para mostrar que todas as pessoas  têm talento congenito e podem superar limites se bem preparadas. 

Todas as pessoas do mundo devem ser tratadas de acordo com seu caráter e com seu conteúdo. A cor da pele nada mais é que uma particularidade oriunda de uma parte ínfima do DNA humano. Todos os povos são irmãos e todas as raças portam pessoas de boa e má índole, de muita e de pouca inteligência. Quem escolhe a cor da pele como qualidade primordial além de cometer um terrível erro de julgamento mostrando pouca inteligência pode se dar muito mal ao dar confiança para a pessoa errada.

Sem falar que no Brasil o racismo é crime previsto em lei e inafiançável, mas isto serve apenas para quem sente-se superior que outras raças, para você que respeita as diferenças e sabe que a cor é só mais um detalhe sem tanta importância assim, publicamos isto apenas a nível de informação.

A imagem que ilustra este artigo foi roubada copiada do site deciclopédia que tem um artigo cool sobre racismo.

Este artigo não foi roubado mas publicamos primeiro no blog oficial da Escola Estadual Itiro Muto (a quem agradecemos o espaço!) 

0 comentários :