CQ? na net:

O Nacirema Americano



O nacirema americano parece confuso inicialmente.
O nacirema é o contrario do americano convencional
Enquanto o americano vai no sentido comum o nacirema vai no sentido oposto
Mas o nacirema americano vai igualmente em qualquer sentido

O nacirema americano não tem qualquer serventia pratica aparentemente, mas como tudo o que é vivo ele é fruto da evolução. Seu ancestral mais comum e simples é a arara.
Muitas pessoas anônimas e famosas são versadas na espécie de o nacirema americano. Mas o problema é que todos os que se envolvem com sua origem acabam viciados.

Quando Edna vagarosamente procurava solucionar o mistério ouviu o seguinte:
“A mil, ande Edna Lima!”
E o Saci que marotamente matou a charada recebeu o diagnóstico:
“Saci Zé é zicas.”

Caso você ainda não tenha matado a charada, o Nacirema americano é um ente da espécie dos palíndromos!

Bônus track:

Quantas vezes uma idéia pode ser original?
Apenas uma vez diria alguém.
1001 vezes diria um apaixonado por palíndromos e capicuas.

Quem é viciado em palíndromos não lê um texto simplesmente como quem absorve uma informação. Além disto procura em cada silaba um novo palíndromo. Ontem estava pensando em como é ruim o programa Ídolos e tive a idéia pouco original de “baixar o sarrafo no programa”. Enquanto digeria a idéia procurava um palíndromo com “Ídolos”, sem obter sucesso com o titulo brasileiro parti para o titulo original “American Idol” e aí nasceu nosso “nacirema”, que logo cresceu para o nacirema americano.

Como a palavra Americano é uma das mais pronunciadas em todos os idiomas do ocidente, resolvi consultar o oráculo dos sofredores de plagio, também conhecido como google, já que alguém poderia ser a mãe (obviamente sou o pai) da minha idéia tão original a primeira vista.

Não me deparei com o palíndromo em si, mas como criar palíndromos não é a única esquisitice que o povo cultua encontrei um Onacirema no campo da sociologia. Trata-se de um homônimo bem diferente do nosso e tem até uma esposa, a Anacirema, além de uns costumes bem esquisitos, sobretudo se você morar numa caverna.

Muita gente é adepta das palavras ao contrario, que está para o palíndromo como o homem está para o macaco: Em algum lugar no passado tiveram um ancestral em comum. Mas os 0,5% do DNA que os separam os tornam totalmente diversos na aparência e no conteúdo. As palavras ao contrario se diferem do palíndromo por que não precisam absolutamente ter algum sentido e a graça está em ler a palavra escrita ao contrario de trás para frente. Os palíndromos até podem não dizer nada, mas a graça encontra-se justamente no fato de poder ser lido em qualquer sentido e ter o mesmo teor, mesmo que seja nada.

Como este negocio de sentido está totalmente sem sentido vou tentar dar um exemplo pratico:

Arara e arara azul, ao contrario tornam-se Arara e luza arara. Arara é um palíndromo porque tanto faz você começar a ler da esquerda para a direita ou da direita para a esquerda, a “mensagem” é a mesma.

Alguém pode criar um texto sobre a Luza arara, um termo inexistente que remete remotamente a uma arara lusitana ou iluminada sei lá (nunca se sabe o grau de esquisitice dos autores), mas tratar na verdade da Arara Azul.

Segue o link do Onacirema da sociologia para você tirar suas próprias conclusões:

2 comentários :

Anônimo disse...

oque é capicuia? [:0}

Anônimo disse...

que bacana o texto do onacirema. Muito bom o blog Café com Sociologia
Para que quiser visitar: http://cafecomsociologia.blogspot.com
Vale a pena