CQ? na net:

Sobre a ética dos patos: Afinal, o achado é ou não roubado?

Tempos atrás no Espirito Santo um gari encontrou no lixo uma grande quantia de dinheiro. O dono de uma lotérica havia escondido o dinheiro no lixo com medo de assaltos e a faxineira que não sabia do “dispositivo de segurança” tratou de jogar o lixo fora.

O gari não pensou duas vezes. Chamou seu superior e correu para entregar a pequena fortuna. Recebeu uma gratificação e passou a ser o maior pato da cidade. Tanta gente lhe chamou de otário que o pobre entrou em depressão. A dignidade pode ter um valor muito relativo em comparação ao prato de comida.
Eu sou do tipo que vive perdendo tudo. Perco a hora, papeis importantes ou não, o senso do ridículo e até a paciência. De tempos em tempos eu perco algum dinheiro também. Se me vale de consolo eu nunca perderei uma fortuna por jamais ter visto uma ao alcance da mão.

Outro dia perdi –mais uma vez- uma nota de dez reais. Estava indo
devolver uma chave (que por sinal havia perdido a hora de colocar no devido lugar). Um garoto que estava visitando a tia encontrou o dinheiro e ao invés de dar uma de Gerson (aquele da vantagem em tudo) correu para entregar a nota.
Como a tia não era a dona da nota tratou de guarda-la. Eu nem tinha mais esperança de encontrar o dinheiro e nem havia reclamado seu sumiço com ninguém.  Um belo dia, surpreendentemente a Tia do menino me perguntou se aquela nota era minha propriedade e contou que ao receber a nota teve como reação pensar nas pessoas que haviam estado por lá, para imaginar quem pudesse ser o distraído.

Para muita gente com “ética flex” tanto a tia como o garoto devem ser os maiores patos da galáxia. Para mim é uma surpresa gratificante encontrar quem eduque suas crianças com princípios. Para as futuras gerações desta família, uma escala de valores desta magnitude fará toda a diferença.Ao abrir mão de seu achado o garoto perdeu dez reais e fez isto sem qualquer interesse. No minimo ganhou a confiança de sua tia, minha gratidão e admiração. Nem dá para dizer que algum dia ele precisará de um atestado de idoneidade de minha parte, mas o fato é que já conquistou e agindo sempre assim conquistará muito mais da vida.

Achar uma nota na rua: dez reais; tomar um refrigerante com ela: dois reais; formar gente ética, proba e honesta: não tem preço!

Veja o video do teste de honestidade (Programa CQC) e quando tiver oportunidade escolha entre ser esperto como todo mundo que gosta de levar vantagem em tudo ou ser dos poucos que fazem a diferença no mundo.

0 comentários :