CQ? na net:

Andar de ônibus em SP: Deveriam pagar cachê em vez de cobrar passagem.

Esta semana, por conta do novo emprego, precisei andar de ônibus nos horários de pico. Depois de alguns anos pegando condução esporadicamente e em horários intermediarios confesso que não fazia idéia do sofrimento que é usar o transporte coletivo em São Paulo. Ônibus, mesmo os bi-articulados- tão lotados (seguramente mais que as 7 pessoas por metro que a prefeitura julga ser o limite) que muitas vezes deixa de atender os passageiros nos pontos (igualmente lotados) que ficam no meio do trajeto. 

Nos terminais a situação não muda: Os ônibus e trens (no sentido centro pela manhã) e as vans (no sentido bairro pela tarde)já saem com lotação acima da capacidade. E o povo gasta pelo menos R$6,00 por dia para ir e vir. Isto explica uma coisa e deixa outra difícil de entender: Com a economia andando bem e o credito sempre à mão, fica fácil entender o por que dos engarrafamentos interminaveis. O que não consigo achar explicação é para o fato de o povo passar por isto diariamente como cordeiros a caminho do abatedouro; ninguém dá um "piu", ninguém reclama, ninguém se mobiliza. Por muito menos e por aumentos de passagens bem menores que as paulistanas o povo faz manifestações grandiosas por todo o país.

O povo de São Paulo tem se mostrado o eleitor e o contribuinte perfeitos!

Como minha casa e meu trabalho ficam no meio do trajeto dos ônibus eu ajustei o horario de trabalho para sair mais tarde de casa (Como eu tenho medo de andar de moto e pouca disposição para pedalar tanto, no fim do expediente não tem muito o que fazer) e vou ajudar a engarrafar a cidade o máximo possivel indo trabalhar de carro, mas ainda assim estou mandando um e-mail para a SPtrans: Por muito menos aperto e exposição o BBB paga uma nota! Quem sabe eles desistem de cobrar a passagem e comecem a pagar cachê...

1 comentários :

Neto disse...

cara, mudei pro interior e quando vou a Sampa quase choro....rs
rodo 33 KM de uma cidade a outra em 40 minutos em média
o salário aqui é menor mas a tranquilidade é maior
nunca compraria uma moto Honda morando ae, aqui comprei (ñ q isto impeça de eu ser roubado/furtado)
tive duas motos Yamaha e são menos visada e mesmo assim tive uma roubada (recuperei, q sorte) e a outra furtada (perdi mesmo), tendo um prejuízo de uns 10 mil reais contando o notebook/celular/modem q perdi em outro roubo
acho q dá pr acontar no dedo a pessoa q ñ sofreu com a perda de patrimônio ae, né ñ?