Header Ads

De seu Valentim.

Não queira saber o que é o amor meu amigo. todo mundo vive falando que é bonito e gostoso. Isso é sundae! Aposto uma cobertura de caramelo que a maioria das pessoas passa pela vida sem saber o que é o amor. se todos descobrissem o mundo seria diferente, lhe garanto.

As pessoas se desejam, se casam, se brigam, se odeiam, se matam, se toleram, se dependem, se acostumam e se morrem e vão chamando tudo de amor. coitados!

Quem ama entende e se identifica com Camões e com São Paulo (se for poeta junta tudo e dá nome de Monte Castelo), não havendo uma só palavra estranha nas respectivas escrituras. É sem duvida o ter com quem nos mata lealdade, porque ha que se cuidar que se ganhe em se perder, é um não querer mais que bem querer...

O amor é a aquarela que colore a vida e o sol que brilha para os olhos rasos d'agua e todos os clichés que já se inventaram e todas as palavras doidas e doídas dos mais altos poemas, é dor que desatina sem doer.

Amar é a cousa mais difícil que existe, amar é a tarefa mais hercúlea que já se teve noticia. Quem ama pensa no outro, no bem estar, na felicidade acima de tudo e faz com gosto, como se possível fosse se mutilar por prazer.

No Brasil o dia dos enamorados é 12 de junho, véspera do dia de Santo Antonio, o santo tido por casamenteiro. Na maioria dos países é 14 de fevereiro, referência a um tal Valentim, padre romano que celebrava casamentos a revelia da lei que os proibia (homens deveriam servir o exercito, não formar família), até que foi descoberto, preso e condenado a morte. Na prisão, a jovem Artérias, filha cega do carcereiro, vendo o burburinho que se formou já que muitos românticos jogavam flores e bilhetinhos dizendo que ainda acreditavam no amor, deu um jeito de conseguir lhe fazer uma visita. Ambos se apaixonaram de pronto, apesar da situação de infortúnio. No primeiro beijo a jovem recuperou a visão. Não obstante a beleza da história, em 14 de fevereiro de 270, o padre foi decapitado e fim.  Deixou para a posteridade a assinatura de uma linda carta "De seu Valentim" ainda hoje muito utilizada mundo afora. 

Como se pode perceber, amor não é cousa para amadores mas, sorte sua se com tudo, tiver um amor para chamar de seu. Vai doer, você vai gostar de ouvir cousas como "Kleiton e Kleidir" mas a sua história será linda! Graças a Deus eu tenho um amor para chamar de meu!
    

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.