CQ? na net:

Perversões Sexuais -O lado obscuro da Santa Madre Igreja.

Água mole em pedra dura...
A fundação da Igreja Católica Apostólica Romana é sustentada por uma mentira. Os católicos alardeiam ser a única igreja verdadeira por supostamente ter sido a igreja fundada pessoalmente por Jesus Cristo, tendo em Pedro seu primeiro Papa. Usam a passagem da bíblia onde Jesus teria dito: “Pedro tu és pedra e sobre ti edificarei minha igreja”.

Tudo muito bonito não fosse um detalhe: A igreja Católica Apostólica Romana foi fundada no século III por Constantino e absorveu as igrejas primitivas, que até então não tinham denominação e eram conhecidas por sua localização. O novo testamento, este sim uma obra genuinamente católica, foi também obra de Constantino que garimpou entre as diversas escrituras, epistolas e evangelhos usados à época pelas igrejas e unificou os que achou coerente num só livro.

Filho de peixe peixinho é.
Hoje em dia a sociedade costuma se escandalizar quando um padre é pilhado em atividades sexuais espúrias. Muito se discute se o celibato é a causa ou conseqüência da perversão sexual dos religiosos. Caso a história da igreja fosse mais difundida, os escândalos de hoje teriam menor impacto, já que padres pedófilos ou namoradores nada mais fazem que reacender a tradição do clero católico.

No ano de 306, o concilio de Elvira decretou o celibato apenas no território da Espanha. O conceito de celibato só se tornou universal em 1123, por meio do Papa Gregório VII e só foi oficializado como obrigatório no concilio de Trento entre 1537 e 1563.

A pratica homossexual era comum entre os padres, tanto que o concilio de Tours, em 567 determinou que dois padres não poderiam mais dormir na mesma cama, sob o impacto da ira do imperador Justiniano, morto dois anos antes, que afirmava que o homossexualismo era a causa de todas as mazelas da natureza como terremotos e a fome.

No ano de 963 o Papa João XII foi assassinado a pancadas por um marido traído que o flagrou na cama, fazendo amor com sua esposa.

Os Papas Paulo II (1464-1471), Sixtus IV (1471-1484) e Julio III (1550-1555) eram reconhecidamente homossexuais. O biografo pessoal de Paulo II afirmou que o Papa morreu por causa de um ataque cardíaco enquanto era sodomizado por um rapaz. A versão oficial dá conta de que havia morrido por congestão, de tanto comer melões.

O Papa Alexandre VI (1431-1503) promoveu a mais famosa orgia da história do Vaticano, com 50 prostitutas que entre outras coisas deveriam recolher castanhas com o órgão genital. O Papa também premiou o convidado que mais copulou durante o evento.

Uma reportagem da revista Istoé revelou que o vaticano tem em seu poder um dossiê chamado “Pedofilia no clero das Américas”. Nele há o relato de 1500 casos de pedofilia envolvendo religiosos nas três Américas.
Todas as religiões tem seu lado controverso, os desvios, via de regra, são cometidos pela cúpula destas religiões. Os católicos que seguem a religião com o coração voltado para o propósito da fé não devem se envergonhar destes fatos. Existindo Deus, este saberá julgar cada um segundo a medida de seus atos. Este artigo é uma critica a hipocrisia reinante no alto clero católico, simbolizada pelo cardeal americano que pregava contra o homossexualismo e foi denunciado por seu amante. A igreja nunca esteve totalmente comprometida em ajudar na construção de uma sociedade melhor e se faz mister que se coloque em seu devido lugar nas discussões sociais.

Quando mais um padre pedófilo aparecer na mídia, que a sociedade lembre-se destes fatos antes de entregar a fatura. Pessoalmente estes homens devem pagar por seus crimes, mas não sozinhos. É emblemático que tantos pedófilos se aninhem por detrás de batinas. Como diria Jesus Cristo: Diga-me com quem andas que te direi quem sois!

Com informações do Livro Guia dos curiosos - Sexo - De Jairo Bouer e Marcelo Duarte - Cia das Letras.

1 comentários :

ateu disse...

Quando o ultimo padre for enforcado nas tripas do ultimo soldado, em fim a paz...