CQ? na net:

Eles usam black-tie - Importante advogado português envolvido em trama criminosa no Brasil.

A imprensa portuguesa está em polvorosa. Hoje foi detido o ex-parlamentar e advogado português Domingos Duarte Lima. Os principais jornais e até a versão lusitana da revista Caras não falam em outra coisa. Duarte Lima foi preso por fraudes contra o Banco Português de Negócios, acusado de desviar 40 milhões de euros da construção de um hospital oncológico. E o que o Brasil tem a ver com isto?

Com este caso especifico aparentemente nada, mas o ministério público brasileiro solicitou à interpol em outubro último a prisão do advogado por outro crime que repercute na imprensa portuguesa desde 2.009: O figurão é acusado de estar envolvido na fraude do espolio de um português que vivia no Rio de Janeiro e para "limpar os rastros" teria executado a viúva, sua cúmplice no desvio.

Rosalina da Silva Cardoso Ribeiro, também cidadã portuguesa, vivia no bairro do flamengo com Lucio Tomé Feteira, que morreu deixando uma fortuna avaliada em R$: 100 milhões. Como Rosalina não era a única herdeira desviou o patrimonio para diversas contas com a ajuda de Duarte Lima, que por seus préstimos levou a bagatela de 5 milhões de euros.

O caso acabou vazando e o advogado português embarcou para o Brasil disposto - a qualquer custo - a fazer com que Rosalina lhe isentasse formalmente de culpa, como a portuguesa de 74 anos não lhe deu esperanças foi assassinada a tiros em dezembro de 2.009 no bairro de Saquarema, na capital carioca.

Desde então o caso têm causado grande comoção em Portugal e a imprensa sempre destaca o caso.

Tratado permite extradição para o Brasil, afirma ministra.  Em entrevista ao jornal Público, a ministra da justiça portuguesa Paula Teixeira da Cruz afirmou que um tratado assinado entre os países de lingua portuguesa permite tanto que portugueses sejam extraditados para o Brasil (ou outro país da convenção) como o contrario, podendo entretanto a justiça local decidir negar o procedimento. Aparentemente solidaria a extradição a ministra afirmou esperar que "Portugal entre numa fase em que acaba a impunidade" e que "ninguém está acima da lei".

Criticas a policia brasileira - Os advogados do politico português afirmaram que não confiam na policia brasileira e insinuaram que policiais cariocas estariam agindo por interesses, além disto a imprensa lusitana publicou que o instituto de medicina legal carioca teria produzido um laudo falho, que inclusive omitia a provavel hora do assassinato, o que favorecia o denunciado. 

Repercussão no Brasil - A grande imprensa brasileira até agora ignorou solenemente a "crise" portuguesa, mas pelo andar da carruagem logo, logo deve "descobrir" o assunto, cuja temperatura só aumenta no além mar.

0 comentários :